nós somos um

25/06/2011

o mais importante


Ultimamente não tenho feito outra coisa. Luto contra a realidade. Luto contra a natureza do corpo, o normal dos acontecimentos. Luto contra a demonstração de afecto. Sempre soube que o mais difícil era a primeira. A partir daí, já não éramos nós a controlar. Conseguimos controlar até  a primeira lágrima escorregar pelo rosto. Nos últimos dias refugio-me na fraqueza dos outros. Sei que tenho mais que vontade de chorar, sei que preciso de o fazer mas não posso. Não posso por 2 miudas, mas essencialmente não posso por mim. Não posso admitir a mim própria da minha fraqueza que permanece e aumenta dia após dia. Sou demasiado orgulhosa para admitir que estou a sofrer por um erro meu e só meu. Simplesmente vou aguentar mais, porque sei que consigo e porque sei que este ano sofri e de uma certa forma modifiquei-me. Eu até agora pensava que tinha perdido tudo, mas ganhei maturidade e força. Sei que estou mais forte mais fria e compacta. Estou certa de mim. Conheci algo dentro de mim que pensava não existir. Creio que haverá um momento em que explodirei. Porque sou humana e ainda tenho vida. Mas saberei que tenho duas pessoaspara me ajudar mesmo sem o demonstrar e acima de tudo é isso o mais importante.

20/06/2011

tudo muda


As pessoas mudam. E muitas vezes se tornam as pessoas que elas disseram que nunca seriam! Seguem passos de pessoas que juraram jamais seguir. Traiem. Desiludem e mentem. Desinteressam-se. Não tenho orgulho naquilo que me tornei, mas sei que foram as circunstancias da vida as culpadas. Não me vou desculpar por isto, mas preciso de acreditar que foi e não fui eu, a pessoa que toda a gente adorou. DESCULPA!

19/06/2011

16/06/2011

nada está perdido ...

Deixaste-me quando era pequeninha, voltaste e a seguir voltas-te a estar ausente. Fieste promessas que nunca cumpris-te, que nunca vais cumprir, sei-o. Deste espectativas nunca concretizadas. Tu prometeste, e agora tem a oportunidade de comprir. Mas já me disseste involutariamente que era demasiado importante para desistires. Também amo demasiado, acho que também não deixiria. Por ti nunca, sei que não mo pedirias. Mas por ela, por ela sim, por ela eu dava tudo o que mais amo. Admira-me que tu não. Não dás nada por ela. Menos doque me deste a mim, muito menos. Tenho pena de ter ser eu dar-lhe o que tu me deste. Devias ser tu. Ela percisa de ti, sempre precisará. Mais doque eu, ela precisa de ti. Agora pode não notar, mas quando crescer e olhar para trás vai reparar, e muito! vai odiar-te por isso. Por favor não a faças odiar-te! Eu? não sei oque sinto em relação a ti, acho que ainda não deixaste de me afetar, mas vejo-te mais como uma pessoa que mora comigo, doque como alguém que já foi e pode voltar a ser muito mais.
Please, for me and for her, come back. You know I still love you dady.
Nada está perdido :$

11/06/2011

ultima de mim, de nós

Acho que esta carta não vai fazer mudar uma decisão desde o inicio planeada mas não me conformaria se soubesse que deixei escapar sem tentar a única pessoa que me fazia verdadeiramente feliz, preenchida. Por favor, não vás. Fica comigo mais uns dias, mais uns meses. Nós fomos felizes, eu sei que fomos. Tudo o que vivemos tudo o que construímos foi real e teve sentimento. Eu sei que sim. Eu tentei ser forte, tentei ser forte e aguentar mas vou-me tornar forte para quem? O único objectivo que eu tinha para ser forte eras tu e tu vais partir. Por isso, em missão de desespero, pavor e angustia pesso-te, imploro-te que não me deixes. Que não saias daquela porta que não me deixes abandonada, solitária. Sabes que jamais conseguirei sair daqui sem ti, deste tumulo que apenas consigo ver a luz a teu lado. Eu preciso de ti! Eu preciso de ti! Eu não tenho mais nada a dizer, só sei que estou a chorar, que estou a despedaçar-me de um modo irreversivelmente morto, gasto. E volto a pedir, porque saberei que nunca será demais e que farei tudo para te ter a meu lado. Por isso, meu amor, fica comigo só esta noite , para eu a recordar como ultima. Ultima de mim e ultima de nós. nunca de ti.

10/06/2011

for us


I died for you, please resurrect me, give me your soul, your life. not for me, not for you, for us.

02/06/2011

ironia


A vida é um monte de constantes imprecisões. Não sabemos o que irá acontecer, quem conheceremos, o que faremos.  E apenas saberemos que vivemos se lutarmos. Que  deitámos sangue e ao fim sermos recompensados e se não formos, ao menos sabemos que fizemos de tudo para ter tudo aquilo que sempre sonhamos. Mas se tivéssemos tudo perfeito, continuávamo-nos a sentir incompletas. Aí faltaria-nos a imperfeição.

'não te encontro'

Acho que não tenho saudades de nenhum dos nossos momentos porque tornou-se tudo demasiado natural e puro. Não tenho saudades de nós, porque nos sinto, aqui e agora. Mas tenho saudades da pessoa a quem podia chamar melhor amiga. Não totalmente mas de atitudes, que por mais pequenas que fossem sabiam a algo. A algo raro  e especial. Acho que acima de tudo, tenho muitas saudades de alguém que por muito mal que eu fizesse ela dizia-me que foi a pior coisa que eu fiz na vida, mas que havíamos de o ultrapassar juntas. Não te encontro pessoa. Vem ao meu encontro. Preciso muito de ti.  Diz-me quem sou eu, de novo. Bf.